Sábado, 23 de Outubro de 2010

A loucura de se perceber vivo

Talvez seja a vida, apenas um sonho.

Por um louco, vivido, no fundo da mente.

Pobre e atormentada vislumbra o paraíso.

Em cálido estado de profundo realismo.

Talvez seja a loucura a única vertente.

De sentidos e paixões que governam a mente.

Talvez seja o louco, o mais sóbrio dos vivos.


publicado por oeremitaurbano às 14:59
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De M.Luísa Adães a 23 de Outubro de 2010 às 20:11
Sim,meu amigo, talvez seja o louco
o mais sóbrio dos vivos.

belo poema eremita urbano.

Obrigada por sua presença no google (7degraus)

Mª. Luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Transbordar de emoção

. Mortiço

. A loucura de se perceber ...

. Até onde vai o silêncio?

. Estou de volta.

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

.subscrever feeds